// archives

Cursos de Terapia Celular

This category contains 6 posts

Artigos didáticos – Curso de Hematologia/Oncologia – FM Unilago 2015

ARTIGOS
Biosci Rep. 2015 Mar 31;35(3). pii: e00192. doi: 10.1042/BSR20150014.
Hepcidin: regulation of the master iron regulator.
Rishi G1, Wallace DF1, Subramaniam VN2.

Abstract
Iron, an essential nutrient, is required for many diverse biological processes. The absence of a defined pathway to excrete excess iron makes it essential for the body to regulate the amount of iron absorbed; a deficiency could lead to iron deficiency and an excess to iron overload and associated disorders such as anaemia and haemochromatosis respectively. This regulation is mediated by the iron-regulatory hormone hepcidin. Hepcidin binds to the only known iron export protein, ferroportin (FPN), inducing its internalization and degradation, thus limiting the amount of iron released into the blood. The major factors that are implicated in hepcidin regulation include iron stores, hypoxia, inflammation and erythropoiesis. The present review summarizes our present knowledge about the molecular mechanisms and signalling pathways contributing to hepcidin regulation by these factors.
KEYWORDS:
erythropoiesis; hepcidin; hypoxia; inflammation; iron:
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26182354
________________________________________
Turk Pediatri Ars. 2015 Mar 1;50(1):11-9. doi: 10.5152/tpa.2015.2337. eCollection 2015.
Iron deficiency anemia from diagnosis to treatment in children.
Özdemir N1.
Abstract
Iron deficiency is the most common nutritional deficiency worldwide and an important public health problem especially in developing countries. Since the most important indicator of iron deficieny is anemia, the terms “iron deficiency” and “iron deficiency anemia” are often used interchangeably. However, iron deficiency may develop in the absence of anemia and the tissues may be affected from this condition. The most common causes ofiron deficiency in children include insufficient intake together with rapid growth, low birth weight and gastrointestinal losses related to excessive intake of cow’s milk. If insufficient intake can be excluded and there is insufficient response to oral iron treatment in patients with iron deficiencyespecially in older children, blood loss should be considered as the underlying cause. The main principles in management of iron deficiency anemiainclude investigation and elimination of the cause leading to iron deficiency, replacement of deficiency, improvement of nutrition and education of the patient and family. In this article, the practical approaches in the diagnosis and treatment of iron deficiency and the experience of our center have been reviewed.
KEYWORDS:
Anemia; child; iron deficiency
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26078692
________________________________________

Púrpura trombocitopênica imune da criança: experiência de 12 anos em uma única instituição brasileira Childhood immune thrombocytopenic purpura: 12-year experience of a single Brazilian institution
Raquel B. Delgado1 Marcos B. Viana2 Rachel A. F. Fernandes3
Rev. Bras. Hematol. Hemoter. 2009;31(1):29-36

O objetivo deste trabalho foi determinar a frequência dos quadros clínicos da púrpura trombocitopênica imune e sua associação com contagem de plaquetas, taxa de resposta à esplenectomia e fatores preditivos do desfecho e da evolução para a cronicidade. Realizou-se estudo retrospectivo com 187 crianças diagnosticadas no Hospital das Clínicas da UFMG, entre 04/1988 e 12/2001. Quadros assintomáticos e leves corresponderam a 76% do total. Hemorragias exclusivamente cutâneas ocorreram em 96% dos casos sintomáticos. A gravidade dos sintomas associou-se à intensidade da plaquetopenia. Evolução aguda foi apresentada por 123 pacientes (70,7%) e crônica por 51 (29,3%). A apresentação insidiosa (26,2%) associou-se a um maior número de esplenectomias (p=4×10-7), a uma menor taxa de resposta à corticoterapia (p=0,003) e constituiu-se, juntamente com a ausência de resposta à corticoterapia .
http://www.scielo.br/pdf/rbhh/v31n1/aop0609.pdf
________________________________________
Leucemia Mielóide Aguda: perfil de duas décadas do Serviço de Hematologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre – RS Acute Myelogenous Leukemia: two decades overview – Hematology Service Hospital de Clínicas de Porto Alegre -RS
Rosane Bittencourt 1 Laura Fogliato1 Liane Daudt1 Henrique N. S. Bittencourt1 João R. Friederich1 Flavo Fernandes1 Tor Onsten2 Kátia Fassina3 Luis K. Rocha3 Fábio Moreno4 Geórgia Silva4 Matheus S. Cruz4 Régis G. de Garcia4 João C. Masniersky4 Lúcia M. R. Silla
Nos últimos vinte anos, nosso serviço recebeu os pacientes com a suspeita de Leucemia Mielóide Aguda (LMA) provenientes de todas as regiões do estado. Entre março de 1980 e dezembro de 1999 analisamos 195 pacientes com idades superior a 12 e inferior a 70 anos, apresentando LMA “de novo” excetuando o subtipo M3. Na década de 80 foram registrados 102 pacientes: 47 homens e 55 mulheres. Destes, 84 receberam quimioterapia de indução com Citarabina e Daunorrubicina (esquema “7+3”), resultando no índice de remissão de 51% (43/84). As médias de sobrevidas livre de doença e global foram dez meses em 35% e 12 meses em 13% respectivamente. De jan/90 a dez/93 houve 41 novos diagnósticos e todos foram submetidos à quimioterapia com esquema “7+3” atingindo a taxa de 66% de remissão. As sobrevidas livre de doença e global foram estatisticamente superiores…..

http://www.scielo.br/pdf/rbhh/v25n1/v25n1a04.pdf

________________________________________

Curso de Hematologia/Oncologia – FM Unilago , 2015

PLANO DE ENSINO DO MÓDULO: Hematologia/Oncologia

I. IDENTIFICAÇÃO DO MÓDULO:
Nome do Módulo e fase Nº de Horas semanais Total H/A semestre
Hematologia 4 horas 60H

HORÁRIO

AULAS PRESENCIAIS:
Quartas-feiras: 13:30 – 17:30 hs. (Global)
TRABALHO INDIVIDUAL:
Disponibilização de parte do horário disponível para pesquisa de mídia orientada, análise crítica e avaliação continuada do conteúdo didático

II. PROFESSORES
NOME: Milton Artur Ruiz, Lilian Piron-Ruiz, Tatiana Peña – Arciniegas

IV. CURSO (S) PARA O QUAL (IS) O MÓDULO OU DISCIPLINA OPTATIVA É OFERECIDO
Curso de Graduação em Medicina

V. EMENTA

Conteúdo programático de caráter teórico para o estudo das doenças hematológicas.
O objetivo do curso será o de estimular o raciocínio e o espirito critico, orientando o aluno na busca do conhecimento, fornecendo informações e apresentando as ferramentas mais adequadas para se atingir o objetivo proposto.

VI. OBJETIVOS

Objetivo Geral
Estimular a busca de conhecimento na área da Hematologia como parte da formação em medicina, possibilitando ao aluno um contato mais próximo com a análise clínica, o raciocínio clínico e o espírito crítico com os quais o futuro profissional relacionar-se-á durante as etapas de seu trabalho.
Objetivos específicos
Cognitivos:
 Conhecer á Fisiopatologia do sangue e dos órgãos hematopoiéticos.
 Ser capaz de realizar uma história clínica, exploração física e orientação diagnóstica das principais doenças hematológicas.
 Estudo clínico e biológico das doenças do sangue e dos órgãos hematopoiéticos, dos recursos de diagnóstico e de os todos os aspectos relacionados com o prognóstico e o tratamento
 Conhecer, saber aplicar, interpretar os exames hematológicos que sejam necessárias para o estudo, diagnóstico e tratamento dos pacientes.
 No acompanhamento de exames de laboratório de análises clínicas, ser capaz de interpretá-los e reconhecer as dificuldades e as facilidades na realização dos mesmos, bem como os fatores pré – analíticos que possam interferir nos resultados.
 Ser capaz de indicar adequadamente o uso racional dos hemocomponentes e hemoderivados. Reconhecer os principais sintomas e sinais relacionados aos efeitos transfusionais adversos e as condutas terapêuticas adequadas.
 Ter noções dos princípios básicos em oncologia, recursos propedêuticos e o diagnóstico dos tratamentos empregados
 Ter noções básicas dos princípios que regem a terapia celular de reconstituição medular e regenerativa
Procedimentais:
• Ser capaz de avaliar de forma adequada os exames de hemograma e coagulação
• Ser capaz de interpretar anamnese, sinais e sintomas para finalizar no raciocínio clínico.
• Ser capaz de atitude crítica estruturada na leitura de artigos médicos disponíveis em língua técnica franca (inglês)
• Ser capaz de aprimorar sua pesquisa bibliográfica através de programas na internet.

VII. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Introdução á hematologia
2. Introdução a oncología
3. Doenças eritrocitárias
4. Doenças leucocitárias
5. Doenças oncohematológicas
6. Doenças hemorrágicas
7. Inmuno-hematologia e medicina transfusional
8. Terapia celular o

VIII. METODOLOGIA DE ENSINO / DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA

Aulas teóricas conforme cronograma, sempre havendo correlação do conteúdo teórico com casos clínicos e respectivos recursos de diagnostico
Sessões individuais com o professor, dedicadas á resolução de dúvidas ou problemas que o aluno apresente.
Disponibilização do conteúdo e orientações “on line” em www.celulastronco.org

IX. METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO

Serão realizadas quatro provas teóricas não presenciais com peso 3, duas provas teóricas presenciais com peso 6.
Elaboração de Monografia ( short review) individual sobre tema discorrido durante o curso: peso 1

Trabalho individual – Curso de Pós Graduação – Terapia celular – Ibilce/Unesp SJ do Rio Preto – 01/07/2013.

 

Os alunos deverão realizar um trabalho individual sobre o tema: “Como eu encaro a terapia celular.”

O trabalho deverá ter no mínimo 250 palavras e no máximo 350, o equivalente a um resumo ou abstract de um trabalho científico. Estruturar em introdução, método utilizado para obter informações, resultados e conclusões.

Utilizar 5 referencias no mínimo e 10 no máximo para ancorar o que foi escrito. Não é necessário identificar no texto as referencias

Os trabalhos deverão estar digitados em folha de papel sulfite A4, espaço duplo, Arial ou Times New Roman, corpo 10, estando o nome do autor entre o título e texto.

Orientações poderão ser encontradas nas normas e instruções aos autores da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, www.rbhh.org ou www.scielo.br/rbhh .

Os trabalhos serão entregues impreterívelmente até o dia 12/07/2013, término do curso.

Atividades do dia

Introdução – Fases da Terapia celular; Situação da Terapia Celular Regenerativa no Brasil; Terapia celular nas doenças oftalmológicas

Milton Artur Ruiz

 

Curso de Pós Graduação – Terapia celular – Ibilce/Unesp – SJ do Rio Preto – 01/07/2013

Participantes

Ana Flavia Teixeira Rossi, André Luis Giacometti Conceição, André Martins Polo, Claudia Bosnic Mello Bochi, Dante Bruno Avanso Rosan, Fernanda de Souza Monteiro, Gabriela Bueno Franco, Heloisa Trindade Moreira, Janesly Prates, Jéssica Zani Lacerda, Jessica Viviani Okumura, Juliana Ramos Lopes, Larissa Bazela Maschio, Livia Carvalho Ferreira, Lucas Ribeiro de Azevedo, Marcela Alcantara Proença, Tatiani Seni de Souza Firmino, Sabrina Mayara Cezario, Maria Clara F Calastri.

Milton Artur Ruiz

Curso de pós graduação – Disciplina de Células-tronco e Terapia Celular IBILCE/UNESP São José do Rio Preto

                                                                     


Créditos – 4

Distribuição – Teórica: 40 horas; Prática: 20 horas

Carga Horária total: 60 horas

Período: 01/ 07/2013 a 12/07/2013

Docente responsável: Milton Artur Ruiz

Participantes: Serão convidados docentes da IBILCE-UNESP, Campus de São José do Rio Preto e de outras instituições da área básica, genética e clínica que atuam na área da Terapia celular

Objetivos

Propiciar aos alunos da pós-graduação, informações, conhecimentos e o momento atual das pesquisas na área básica, genética e da aplicação clínica da Terapia celular.

Despertar no corpo discente o interesse em pesquisas e atuação na área da Terapia celular que se encontra em franca evolução mundial.

                      

Métodos de ensino

Aulas expositivas, seminários, discussão de grupo e prática laboratorial.

 

Critérios de avaliação

 

Avaliação conceitual baseado na presença, participação e interesse.

Avaliação de trabalho em individual.

 

Conteúdo programático

Biologia Celular e o Transplante de Células-tronco hematopoéticas

·         Bases da Terapia celular

·         Células-tronco Embrionárias

·         Células progenitoras Hematopoéticas

·         Identificação e quantificação

·         Antígenos de Histocompatibilidade Leucocitária (HLA)

Fontes e Coleta de Células-tronco (CT)

·         Medula Óssea

·         Sangue periférico

·         Placenta e Sangue de Cordão Umbilical

·         Fontes alternativas

Criobiologia, Processamento e Estoque das CT.

·         Bases da Criopreservação

·         Técnicas em Criopreservação

·         Soluções Criopreservativas.

·         Processamento de Frações celulares para uso clínico ou pesquisa

·         Banco de tecidos e de células, estoque, preservação, manuseio, seleção e expansão.

Aspectos clínicos da terapia com Células – tronco e da Terapia Celular.

·         Infusão de Células – vias

·         Transplantes (Autólogo e Alogenico)

·         Enxertia (Homing)

·         Falha e Rejeição

·         Imunidade

·         Genética do Transplante.

Complicações agudas e imediatas da Terapia celular com células-tronco hematopoéticas.

·         Quimioterápicos e Fatores de Crescimento e quimiocitocinas no Transplante.

·         Acesso Venoso

·         Complicações na Aférese

·         Efeitos adversos á infusão

·         Efeitos imuno-hematológicos adversos

 

Avanços da Terapia celular e Bioengenharia

·         Terapia genética

·         Células-tronco mesenquimal, obtenção fontes e aplicações

·         Imunoterapia adotiva.

·         “Scafolds” e moldes na Terapia celular

Medicina Regenerativa e os resultados atuais. Perspectivas Futuras

Hematologia, Cardiologia, Angiologia, Pneumologia, Neurologia, Oftalmologia e Ortopedia e outras áreas.

Legislação e Regulação da Terapia celular

Praticas em terapia celular


 

Bibliografia

Ruiz MA, Piron-Ruiz L. Células-tronco e Terapia Celular Regenerativa. In: Martins MA, Carrilho FJ, Alves VA, Castilho EA, Cerri GG, Wen CL. Clínica Médica, Vol 3. Doenças hematológicas, Oncologia, Doenças renais e genitourinárias ,  Barueri,SP:  Ed Manole; 2009 : 295-310.

Dib N, Taylor DA, Diethrich EB. Stem Cell therapy and tissue engineering for cardiovascular repair. New York: Springer Science; 2006, 335 p.

Morales MM. Terapias Avançadas- Células-Tronco, Terapia Gênica e Nanotecnologia Aplicada à Saude. São Paulo,SP : Ed Atheneu; 2007.336 p

Zago MA, Covas DT.  Células-tronco, a Nova Fronteira da Medicina. São Paulo,SP : Ed Atheneu; 2006.245 p.

Garcia VD, Abbud Filho M, Neumann J, Pestana JO. Transplante de Orgãos e Tecidos. 2ª. Ed. São Paulo,SP : Segmento Farms; 2006. 992 p.

Ruiz MA, Piron-Ruiz L. Aplicações e Perspectivas do uso de células-tronco na Medicina. In: Garcia VD, Abbud Filho M, Neumann J, Pestana JO. Transplante de Orgãos e Tecidos. 2ª. Ed. São Paulo,SP : Segmento Farms;2006. p. 959-62.

Blume KG, Forman SJ, Appelbaum FR.  Thomas’ Hematopoietic Cell Transplantation. 3th ed. Massachusetts,USA :Blackwell Publishing Ltd. ; 2004. 1563 p

Lanza R, Blau H, Melton D, Moore M, Thomas ED, Verfaillie C, Werssman I, West M. Handbook of Stem Cell, Adult and Fetal. Vol 2. Burlington: Elsevier Academic Press; 2004. 820 p.

Lanza R, Gearhart J, Hogan B, Melton D, Pederson R, Thomson J, West M. Handbook of Stem Cells, Embryonic Stem Cell. Vol 1. Burlington: Elsevier Academic Press; 2004. 806 p.

AABB & ASBMT – Cellular therapy. A Phisician’s Handbook  1th.editionSnyder EL and Haley NR AABB –USA 2004 .279p.

Milton Artur Ruiz

 

——000——

XII Curso de Verão: Genoma, Proteoma e Universo Celular

XII Curso de Verão: Genoma, Proteoma e Universo Celular – 2011-09-19

Pesquisadores, professores, alunos de pós-graduação e funcionários da Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, convidam para o “XII Curso de Verão” intitulado Genoma, Proteoma e Universo Celular a realizar-se durante os dias 23 a 27 de janeiro de 2012, na Fundação Hemocentro de Ribeirão Preto.

As inscrições deverão ser feitas pelo site www.hemocentro.fmrp.usp.br/cursoverao2012 no período de 26/09 a 30/10 de 2011.

USP- Universidade de São Paulo

Mais informações: (16) 2101-9361 (Dalvinha)

E-mail: cursodeverao2012@yahoo.com.br

PALESTRAS

MINI-CURSOS:

< Processamento de imagem in vivo no rastreamento de células em tempo real; Da citogenética para citogenômica: avanços em terapia celular e neoplasias humanas; Tecnologia do isolamento, cultivo e diferenciação de células-tronco; Comparação do perfil de expressão gênica entre os diferentes tipos de células-tronco; Análise proteômica quantitativa aplicada a células tumorais humanas; Biotecnologia e modificação gênica de células; Terapia celular em doenças autoimunes e inflamatórias; Abordagens metodológicas nos estudos funcionais em larga escala; RNAs reguladores: implicação e aplicações em neoplasias humanas; Aplicações da citometria de fluxo em pesquisa biomédica Milton Artur Ruiz

Sobre o Autor

Médico, Hematologista, Hemoterapeuta, Professor Colaborador da disciplina de Hematologia/Hemoterapia da Faculdade de Medicina da Universidade de S. Paulo, USP-SP, Coordenador do Grupo de Estudos de Terapia celular do IMC de S J do Rio Preto-SP, Chefe da Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital Infante D. Henrique da Associação Portuguesa de Beneficencia de SJ do Rio Preto SP. , Editor da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia - Journal of Hematology and Hemotherapy ISSN 1516 8494 , Mestre em Hematologia – Escola Paulista de Medicina, Unifesp-SP, Doutor em Medicina Interna – Unicamp-SP, Livre docente em Hematologia- Famerp- SP.

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!