// you're reading...

Artigos

Efeitos tardios em pacientes sobreviventes após o Transplante de Células –tronco Hematopoéticas.

Os pacientes portadores de doenças graves como Leucemias, Linfomas e outras doenças cada vez mais sobrevivem após o Transplante.

Isto se deve a melhora em toda a logística do transplante: indicação cada vez mais apropriada, tipo de preparação das células-tronco, regime de mobilização com melhores drogas e doses mais ajustadas, doador mais bem escolhido e regime de condicionamento mais adequado no preparo para o transplante dentre outras medidas gerais durante procedimento.

Assim o Fred Hutchinson Cancer Center Research de Seattle, Estados Unidos publicou recentemente ” on line” no “Journal Clinical Oncology” uma observação retrospectiva de 1087 pacientes no período de 2004 a 2009 que sobreviveram mais de um ano após transplante.

Observou a presença de 14 efeitos não malignos mais freqüentes nestes pacientes.
Nos que receberam transplante autólogo e que sobreviveram mais de cinco anos, 44,5% apresentaram efeitos tardios não malignos. Nos que receberam transplante alogênico para o mesmo período a taxa foi de 79% de efeitos tardios.
O número destes efeitos variou mas estão descritos como efeitos problemas pulmonares, de tiróide e diabetes dentre outros.

Assim com estes dados fica mais claro a necessidade do acompanhamento de longo prazo dos pacientes por equipes preparadas para identificar, acompanhar e tratar estes pacientes sobreviventes que aumentam a cada dia.

doi: 10.1200/JCO.2011.38.4594

Milton Artur Ruiz

Sobre o Autor

Médico, Hematologista, Hemoterapeuta, Professor Colaborador da disciplina de Hematologia/Hemoterapia da Faculdade de Medicina da Universidade de S. Paulo, USP-SP, Coordenador do Grupo de Estudos de Terapia celular do IMC de S J do Rio Preto-SP, Chefe da Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital Infante D. Henrique da Associação Portuguesa de Beneficencia de SJ do Rio Preto SP. , Editor da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia - Journal of Hematology and Hemotherapy ISSN 1516 8494 , Mestre em Hematologia – Escola Paulista de Medicina, Unifesp-SP, Doutor em Medicina Interna – Unicamp-SP, Livre docente em Hematologia- Famerp- SP.

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!