// you're reading...

Agenda Clínica

Doenças da Retina

A retina é responsável pela transformação da luz em impulsos nervosos.
Na região central da retina (mácula) tem a maior concentração de cones que são fotorreceptores, são eles que fazem a percepção de cores e de detalhes, temos nela também os bastonetes que fazem a visão de formas, de movimentos e em ambientes com pouca luminosidade. Serão colocados na seqüência alguns problemas mais comuns que podem ocorrer na retina.

Degeneração macular relacionada á idade (DMRI) – Acomete pacientes com mais de 50 anos sendo mais comum em idade acima de 70 anos, e caracteriza-se basicamente pela diminuição da acuidade visual que pode ser lenta ou rápida.

Quadro clinico e classificação
Forma seca –ocorre em 90% dos casos de DMRI sendo avaliada alteração do epitélio pigmentar macular verificado através de exame de fundo de olho pelo médico oftalmologista,nesta forma os sintomas visuais não são tão acentuados

Forma exsudativa – nesta forma tem a formação de vasos subretinianos causando uma perda de visão acentuada e rápida com o aparecimento de escotomas também conhecidos como fantasminhas ou nuvens que passam pelos olhos

Tratamento – DMRI nas duas formas o não tabagismo e a proteção ocular contra raios UV são importantes, portanto os hábitos tem que ser reavaliados, após ser verificado a forma da DMRI é que se propõe o tratamento

Forma seca – não há tratamento especifico normalmente se usa vitaminas como a C e outros complexos assim como antioxidantes

Forma exudativa – o tratamento pode ser foto coagulação á laser, injeção intra-vítrea de substancias anti angiogenicas (avastin, macugenelecentis).

Oclusão arterial da retina –(OAR)
Ocorre por uma obstrução circulatória da artéria central ou de seus ramos geralmente de forma súbita podendo levar á cegueira, o mecanismo é através de êmbolos, placas ateroscleróticas e vasculites.

Epidemiologia – média de idade 60 anos, está relacionada com algumas doenças sistêmicas cerca de 90% como a hipertensão arterial (66%), o Diabetes mellitus (25%), doença valvular cardíaca (25%), estenose ou placas na aorta (45%), HIV, hiperlipidemia, policitemia dentre outras doenças.

O que o paciente sente? – perda da visão de forma súbita em segundos sem dor, ao exame de fundo de olho realizado pelo oftalmologista uma imagem clássica de mácula em cereja

Diagnóstico – É feito associando história clinica e exames oftalmológicos específicos como a angiografia fluorescente, eletroretinograma, tomografia de coerência óptica

Tratamento – Deve ser considerado como uma urgência e iniciar o tratamento em menos de 24horas dos sinais e sintomas, pois a lesão pode ser irreversível e o tratamento consiste em manobras para restabelecer o fluxo sanguineo da retina empurrando o embolo para o sistema circulatório, diminuir a pressão intra-ocular.

Oclusão venosa da retina (OVR)
É a segunda causa depois da retinose diabética que mais leva a diminuição da acuidade visual, a faixa etária é acima de 50 anos sendo mais comum em homens e normalmente o acometimento é unilateral.

O que ocorre?. Formação de trombos levando a alteração inflamatória e degenerativa da retina.

Lilian Piron

Sobre o Autor

Médico, Hematologista, Hemoterapeuta, Professor Colaborador da disciplina de Hematologia/Hemoterapia da Faculdade de Medicina da Universidade de S. Paulo, USP-SP, Coordenador do Grupo de Estudos de Terapia celular do IMC de S J do Rio Preto-SP, Chefe da Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital Infante D. Henrique da Associação Portuguesa de Beneficencia de SJ do Rio Preto SP. , Editor da Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia - Journal of Hematology and Hemotherapy ISSN 1516 8494 , Mestre em Hematologia – Escola Paulista de Medicina, Unifesp-SP, Doutor em Medicina Interna – Unicamp-SP, Livre docente em Hematologia- Famerp- SP.

Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui!